A luta das mulheres trabalhadoras rurais da Contag: a Marcha das Margaridas em diálogo com o(s) feminismo(s)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36920/esa31-2_10

Palavras-chave:

Contag, Marcha das Margaridas, feminismo(s), mulheres rurais

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar a luta e a contribuição das mulheres trabalhadoras rurais no Brasil a partir das ações das mulheres na e da Contag, com foco na Marcha das Margaridas e no seu diálogo com o(s) feminismo(s). O foco é conhecer a história da organização das mulheres trabalhadoras rurais no Brasil e entender como esta fortaleceu o sindicalismo da Contag e a luta feminista. Como a Marcha das Margaridas foi um marco da mobilização das mulheres do movimento sindical da Contag, em parceria com diversas organizações de mulheres e feministas do Brasil, sua compreensão é central para entender a Contag em seus 60 anos de história. Para isso, foi feita uma pesquisa qualitativa, com análise documental e de entrevistas semiestruturais, realizadas com lideranças da Contag, da Marcha das Margaridas, das entidades parceiras e com representantes do governo que estiveram em algum momento em diálogo com essas lutas e demandas. Como resultado, percebe-se que a crescente organização das mulheres do campo, das águas e das florestas trouxe mais visibilidade e reconhecimento político para o sindicalismo da Contag, para dentro e para fora do movimento, tendo como expressão a força política da Marcha das Margaridas que se tornou referência nacional e internacional de mobilização das mulheres rurais e a maior ação em massa realizada pela Contag. Também foi possível identificar como as mulheres da Contag se fortaleceram com o(s) feminismo(s) e como o(s) feminismo(s) se fortaleceram com a luta das mulheres do sindicalismo rural.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

Downloads

Publicado

27-11-2023

Edição

Seção

Seção Temática “Sindicalismo de Trabalhadores(as) rurais no Brasil: transformações, permanências e os 60 anos da Contag”, organizada por Marco Antonio Teixeira (Universität Heidelberg, Alemanha) e Priscila Delgado (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro)

Artigos Semelhantes

1-10 de 376

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.