Resistências cotidianas em defesa do “bem viver”: o caso da comunidade Lapa, no sertão cearense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36920/esa-v30-1_st04

Palavras-chave:

barragens, desterritorialização, resistências camponesas

Resumo

Tendo como contexto histórico o modelo de desenvolvimento imposto pelo capitalismo na América Latina e o caráter regulador do Estado, sobretudo das estratégias para a desterritorialização dos grupos camponeses na contemporaneidade, o artigo objetiva discutir as contradições que envolvem os conflitos socioterritoriais gerados pela construção de uma grande obra hídrica e as comunidades atingidas com esse empreendimento, e como tais comunidades resistiram a esse processo, tendo como subsídio de análise o caso empírico dos agricultores da comunidade Lapa, na luta pelo reconhecimento do território e enfrentamento das violações de direitos, decorrentes da instalação da barragem Figueiredo, no município de Potiretama, no estado do Ceará. Neste estudo, a teoria social latino-americana e a sociologia dos conflitos dialogam com os dados empíricos produzidos por meio de entrevistas e pesquisas bibliográfica e documental, realizadas no período compreendido entre os anos de 2018 e 2020. A pesquisa evidenciou as formas de resistências dos agricultores da Lapa, como a organização coletiva, o acionamento de identidades coletivas, as ocupações, as mobilizações sociais e a manutenção do modo de vida tradicional, concluindo que existe na condição camponesa grupos que resistem e lutam no campo contra a falácia do “viver melhor” em defesa do “bem viver”.

elocation-id: e2230112
Recebido: 07.10.2021   •   Aceito: 28.03.2022   •   Publicado: 20.05.2022
Artigo original  /  Revisão por pares cega  /  Acesso aberto

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta de Castro Cunha, Universidade Estadual do Ceará (UECE) – Fortaleza, Ceará, Brasil

Doutoranda em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Mestre em Políticas Públicas e Sociedade pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Assistente Social da Defensoria Pública da União no Ceará (DPU/CE).
https://orcid.org/0000-0003-3492-233X
http://lattes.cnpq.br/5481214217367498
roberta.castroas@gmail.com

Lia Pinheiro Barbosa, Universidade Estadual do Ceará (UECE) – Fortaleza, Ceará, Brasil

Professora Adjunta I no Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC).  Doutora em Estudos Latino-Americanos pela Universidad Nacional Autónoma de México (Unam). Bolsista de Produtividade PQ2-CNPq. Pesquisadora do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (CLACSO) no GT Anticapitalismos & Sociabilidades Emergentes e no GT Economía Feminista Emancipatoria.
https://orcid.org/0000-0003-0727-9027
http://lattes.cnpq.br/3858914223581195
lia.barbosa@uece.br

Downloads

Publicado

24-05-2022