Água, terra e memória no “gerais” do rio São Francisco: Cabeceirinha, município de Januária, Minas Gerais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36920/esa-v30-1_st03

Palavras-chave:

tomada de terras, Semiárido, agricultura familiar

Resumo

Ao longo de décadas, famílias de agricultores se deslocaram pelos “gerais” do Alto-Médio São Francisco, no Norte do estado de Minas Gerais. Com acesso livre às terras e às águas, “geralistas” adaptaram técnicas de manejo que asseguraram produção abundante até finais do século XX, quando a tomada de terras comuns promovida pela “modernização agrícola” foi seguida pela implantação de unidades de conservação. Essas mudanças tiveram papel fundamental na história vivenciada pela população rural e suas narrativas mesclam a avaliação das transformações do acesso aos recursos e ao território com a criação de formas de resistência e adaptação a novos modos de viver, fazer e produzir. A memória sustenta a avaliação e o enfrentamento. Este artigo analisa as relações entre população, terra e água, investigando a comunidade de Cabeceirinha, banhada pelo Pandeiros, um dos últimos rios vivos do território. Usando técnicas da etnografia e de pesquisa social, debate a partir das histórias e memórias de que maneiras as restrições fundiárias, legais e ambientais modificaram costumes e, contraditoriamente, fundamentam a recriação cotidiana das condições de vida.

elocation-id: e2230111
Recebido: 15.11.2021   •   Aceito: 07.04.2022   •   Publicado: 20.05.2022
Artigo original  /  Revisão por pares cega  /  Acesso aberto

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Keyty de Andrade Silva, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Mestre em Planejamento Urbano e Regional/Demografia pelo Programa de Pós-graduação em Sociedade, Ambiente e Território da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).
https://orcid.org/0000-0001-5555-5474
http://lattes.cnpq.br/5382237538042639
andrade.keyty@gmail.com

Eduardo Magalhães Ribeiro, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Professor titular do Instituto de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).  Doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
https://orcid.org/0000-0002-4330-2346
http://lattes.cnpq.br/4262445758282319
eduardoribeiromacuni@gmail.com

Gildarly Costa da Cruz, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Mestre em Planejamento Urbano e Regional/Demografia pelo Programa de Pós-graduação em Sociedade, Ambiente e Território da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).
https://orcid.org/0000-0003-1297-8076
http://lattes.cnpq.br/2164150334419403
gc.cruz@hotmail.com

Downloads

Publicado

24-05-2022

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)