Da reforma agrária ao agronegócio: notas sobre dinâmicas territoriais na fronteira agropecuária amazônica a partir do município de Apuí (sul do Amazonas)

From agrarian reform to agribusiness: notes on territorial dynamics on the Amazonian agricultural frontier based on the municipality of Apuí (southern Amazonas)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36920/esa-v28n2-6

Resumo

O artigo busca refletir sobre o processo que permitiu a formação do agronegócio no Amazonas, tomando como foco o município de Apuí. Para tal analisamos os diversos fluxos migratórios e as políticas de desenvolvimento dirigidas para o sul do Amazonas desde a década de 1980. Procurou-se demonstrar como o maior assentamento rural do país (Projeto de Assentamento Rio Juma) tornou-se uma das áreas de maior crescimento do rebanho bovino da Amazonia. Demonstramos como iniciativas do Estado produzidas para o fortalecimento da agricultura familiar e segurança territorial de pequenos agricultores foram utilizadas para o investimento nas criações de gado e regularização fundiária de grandes fazendas. Por fim analisamos como esta configuração estimulou o agronegócio, dinamizou o mercado de terras e estimulou os grandes incêndios florestais em Apuí.
Palavras-chave: Apuí; Sul do Amazonas; incêndios florestais; agronegócio; pecuária.

Artigo recebido em 12 de fevereiro de 2020. Aceito em 24 de abril de 2020.

Como citar
GALUCH, Mariana Vieira; MENEZES, Thereza Cristina Cardoso. Da reforma agrária ao agronegócio: notas sobre dinâmicas territoriais na fronteira agropecuária amazônica a partir do município de Apuí (Sul do Amazonas). Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v. 28, n. 2, p. 388-412, jun. 2020.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Vieira Galuch, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, Amazonas, Brasil

Doutorado pelo Programa de Pós-graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Amazonas (PPGAS/UFAM). Professora no Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (IFCHS) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).
https://orcid.org/0000-0003-4660-4515
http://lattes.cnpq.br/6406760182657035
mgaluch@yahoo.com.br

Thereza Cristina Cardoso Menezes, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Pós-doutorado Sênior/CNPq pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGAS-Museu Nacional/UFRJ). Pós-doutorado no Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA/UFRRJ).
https://orcid.org/0000-0003-2452-0433
http://lattes.cnpq.br/1961922404233305
therezaccm@uol.com.br

Downloads

Publicado

2020-06-01