Soberania versus segurança alimentar no Brasil: tensões e oposições em torno da agroecologia como projeto

Food sovereignty vs food security in Brazil: tensions and oppositions within agroecology as an objective

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36920/esa-v27n1-2

Resumo

O Brasil pode ter cara de bom aluno em termos de segurança alimentar e de governança por ter implementado uma Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional-PNSAN ao mesmo tempo desetorializada, participativa e decentralizada. O modelo que ele promulga e o produto da participação importante dos movimentos sociais cujas propostas alimentaram as políticas públicas da última década e substituíram o referencial mundial de segurança alimentar pelo de soberania alimentar. Este artigo se propõe a analisar os agenciamentos sociais que acompanharam a promoção da soberania alimentar no Brasil, herança da história da luta contra a fome no Brasil. Desde o fim da ditatura, as ações foram realizadas no contexto instável de dois referenciais de desenvolvimento no seio mesmo do Estado. O compromisso institucional associado é levado à sua mais viva expressão no governo Lula com a chegada de gestores próximos dos movimentos sociais no seio de um Estado ainda em parte nas mãos das elites rurais tradicionais. De fato, dois sistemas agroalimentares se opõem e vão entrar em conflito aberto durante e depois da destituição de Dilma Rousseff: por um lado, um sistema técnico-ambiental defendido pelo agronegócio cujo projeto político é de modernização ecológica; por outro lado, um sistema socioecológico defendido pelo mundo das ONG´s, dos movimentos sociais e dos representantes do governo de esquerda reunidos sob a bandeira da agroecologia. Os movimentos sociais, assim como o setor do agronegócio vão tentar, cada um do seu lado, mas numa incessante relação de força, construir uma certa unidade, a fim de reforçar suas redes de influência e sua capilaridade na sociedade. O fim da dualidade institucionalizada é um convite a fazer a pergunta da coexistência, até da possível hibridação desses dois modelos.
Palavras-chave: segurança alimentar; agroecologia; agronegócio; modelo de agricultura; movimentos sociais.

PINTON, Florence; YANNICK, Sencébé. Soberania versus segurança alimentar no Brasil: tensões e oposições em torno da agroecologia como projeto. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 27, n. 1, p. 24-46, fev. 2019.

Recebido em setembro de 2018.
Aceito em dezembro de 2018.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Florence Pinton, Institut des sciences et industries du vivant et de l'environnement (AgroParisTech), França

Doutorado em Ciências Sociais pela École des Hautes Etudes en Sciences Sociales de Paris e professora de Sociologia pelo Institut des sciences et industries du vivant et de l'environnement (AgroParisTech – França).
E-mail: florence.pinton@agroparistech.fr
https://www.researchgate.net/profile/Florence_Pinton

Sencébé Yannick, Institut National Supérieur des Sciences Agronomiques, de l'alimentation et de l'environnement (AgroSup, Dijon), França

Professora de Sociologia do Institut National Supérieur des Sciences Agronomiques, de l'alimentation et de l'environnement (AgroSup, Dijon), França.
E-mail: yannick.sencebe@inra.fr
https://www.researchgate.net/profile/Sencebe_Yannick

Downloads

Publicado

2019-02-01