A teoria da sociedade de risco de Ulrich Beck: entre o diagnóstico e a profecia

Autores

  • Julia S. Guivant

Resumo

O objetivo deste artigo é o de analisar os últimos desenvolvimentos da teoria global dos riscos de Ulrich Beck e levantar questionamentos sobre a mesma, partindo de um reconhecimento de suas significativas contribuições. Apesar de Beck afirmar que o conceito de sociedade global de riscos não exclui que algumas pessoas, países ou regiões sejam mais afetados que outros pelos riscos ambientais e tecnológicos, dois problemas centrais são aqui discutidos: a perspectiva evolucionista/linear/eurocentrista na descrição da dinâmica da globalização dos riscos e a imprecisão sobre como sua proposta de subpolítica pode ser implementada. A autora argumenta que a teoria global dos riscos de Beck é uma combinação de um agudo diagnóstico da sociedade de risco com uma vaga proposta, quase uma profecia, acerca das alternativas sobre como lidar com riscos de conseqüências incertas e do papel da subpolítica. Finalmente, o texto ilustra os limites e possibilidades da teoria de Beck através da análise dos debates em torno dos organismos geneticamente modificados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julia S. Guivant

é professora da UFSC e pesquisadora visitante no CPDA/UFRRJ

Downloads

Publicado

07-12-2013

Edição

Seção

Número 16 - abril 2001