Caminhos para chegar a terra: a atuação do STTR e MST na Ocupação da Fazenda Cipó Cortado em João Lisboa-MA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36920/esa31-2_14

Palavras-chave:

Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, conflitos agrários

Resumo

Os movimentos sociais do campo apresentam-se como protagonistas na luta pela terra e cidadania na Região Tocantina, no sudoeste do Maranhão. O caso da ocupação da fazenda Cipó Cortado é um conflito fundiário que se estende por décadas. Este artigo é resultado de uma análise multidisciplinar sócio-histórica. Utilizou-se da metodologia da História Oral, ancorada na bibliografia correlata e no levantamento de dados em arquivos e, com base na noção de repertórios de ação, descreveu como a demanda social por terra e as reivindicações por um lugar (lote) para viver, morar e trabalhar ocorreram no local pesquisado. Ademais, o artigo mostra que a ocupação de terras foi um repertório utilizado tanto pelo Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais Sem-Terra – MST como pelo Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de João Lisboa-MA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Verônica Viana da Fonseca, Universidade Federal do Maranhão (UFMA) – Imperatriz, Maranhão, Brasil

Mestrado em Sociologia pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Maranhão.
veronica.fonseca@discente.ufma.br
https://orcid.org/0009-0009-8041-7706
http://lattes.cnpq.br/3470126658407483

Maciel Cover, Universidade Federal de Rio Grande (FURG) – Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil

Professor adjunto da Universidade Federal de Rio Grande (FURG). Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Pós-doutorado em Ciências Sociais na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professor colaborador do Programa de Pós-graduação em Sociologia (UFMA). 
maciel.cover@ufma.br
https://orcid.org/0000-0003-3816-4927
http://lattes.cnpq.br/9524897911810266

Marcelo Sampaio Carneiro, Universidade Federal do Maranhão (UFMA) – Imperatriz, Maranhão, Brasil

Professor Titular do Departamento de Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Estágio de pós-doutorado na École des Hautes Etudes en Sciences Sociales (França).
marcelo.sampaio@ufma.br
https://orcid.org/0000-0002-7474-2694
http://lattes.cnpq.br/6572389980946800

Downloads

Publicado

27-11-2023

Edição

Seção

Seção Temática “Sindicalismo de Trabalhadores(as) rurais no Brasil: transformações, permanências e os 60 anos da Contag”, organizada por Marco Antonio Teixeira (Universität Heidelberg, Alemanha) e Priscila Delgado (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro)