Ambientalismo e des-territorialização in situ em assentamentos na Amazônia

  • Dérick Lima Gomes Universidade Federal do Pará
  • Arthur Erik Monteiro Costa de Brito Universidade Federal do Pará
  • Noemi Sakiara Miyasaka Porro Universidade Federal do Pará

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar limitações às práticas produtivas de agricultores familiares em Projetos de Desenvolvimento Sustentável (PDS) diante da forma de aplicação da Legislação Ambiental vigente. A pesquisa foi realizada em Anapu (PA) por meio de entrevistas, observação direta e participante e revisão bibliográfica-documental. Subordinados a normatizações percebidas como alienantes da construção territorial, os agricultores alegam não deter controle real da apropriação e uso de seus espaços, desestruturando-se seu modo de vida. Analisamos esse processo como uma desterritorialização in situ, que ocorre mesmo sem deslocamento físico, a partir da precarização das condições de vida no território em que escolheram viver enquanto comunidade.

Biografia do Autor

Dérick Lima Gomes, Universidade Federal do Pará

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas (PPGAA) da Universidade Federal do Pará (UFPA). E-mail: dericklima16@hotmail.com.

Arthur Erik Monteiro Costa de Brito, Universidade Federal do Pará

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas (PPGAA) da Universidade Federal do Pará (UFPA). E-mail: arthur-182@hotmail.com.

Noemi Sakiara Miyasaka Porro, Universidade Federal do Pará

Doutora em Antropologia Social e Professora do Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas (PPGAA) da Universidade Federal do Pará (UFPA). E-mail: noemi@ufpa.br.

Publicado
2018-04-28
Seção
Seção Temática